Introdução ao Google Analytics

13/07/2019 

A primeira questão que você deve estar se fazendo é: "Porque eu preciso do Google Analytics?" Em suma, você precisa dessa ferramenta para lhe ajudar a entender o público do seu site. Mas essa é apenas uma das muitas razões.

A partir desta ferramenta, você pode obter várias informações sobre o seu visitante e o comportamento dele no seu site, como por exemplo:

  • Quantas pessoas visitam o seu site?
  • Onde seus visitantes moram?
  • Em que tipo de sites eles estavam navegando antes de serem levados até o seu site?
  • Eles utilizam dispositivos móveis ou desktop (computador)?
  • Que navegador eles utilizam?
  • Que conteúdo eles preferem?
  • Qual página do seu site é a mais popular?

Nós todos sabemos que "conhecimento é poder", e isso também é válido quando se trata de seu site. O Google Analytics pode ajudar você a descobrir quem são seus clientes e o que eles querem de você.

Sabemos também que, para algumas pessoas, apenas o som das palavras "Google" e "Analytics" usadas juntas na mesma frase já soa assustador. Se você é uma dessas pessoas, não se preocupe, "jovem Padawan*". Nós lhe daremos algumas dicas!

Dica: Se você ainda não tem seu site conectado ao Google Analytics, veja aqui como fazer.

Conheça o seu caminho em torno do Analytics

Para usar o Google Analytics ao máximo, é importante conhecer bem a interface da ferramenta. Por essa razão, começaremos descrevendo as abas e o que você pode fazer em cada uma delas.

Página inicial

Quando você faz o login, a primeira coisa que você vê é a sua página inicial e ela já mostra muitas informações. O Google Analytics predefiniu para você um conjunto de gráficos para um determinado período de tempo, para que você possa organizar as informações desde o primeiro momento. A partir daqui você já pode gerar relatórios. Esta ferramenta é simples assim mesmo! Ajudaremos você a se sentir confortável com ela em pouco tempo.

Personalização

Nesta aba, você pode personalizar a maneira de ver os dados no Google Analytics. Você pode criar painéis personalizados para ver as informações mais importantes rapidamente, gerar relatórios personalizados com os dados que realmente deseja analisar, encontrar os relatórios criados anteriormente e criar alertas personalizadas solicitando que o Google entre em contato sempre que algo importante acontecer, como por exemplo quando uma de suas métricas não está indo tão bem.

Relatórios

Aqui é onde a mágica acontece! Não queremos que você se sinta sobrecarregado pela grande quantidade de informações detalhadas sobre o que pode encontrar aqui, por isso vamos detalhar algumas métricas depois. Por enquanto, você só precisa saber que aqui é onde você pode encontrar tudo sobre as pessoas que visitam seu site.

  • Na aba Em tempo real você pode ver o desempenho do seu site no momento em que você acessa o Google Analytics;
  • Abra a aba Público-alvo e o Google vai mostrar-lhe as características dos seus visitantes, como por exemplo: idade, interesses e muito mais;
  • Verifique a aba Aquisição para descobrir os detalhes das visitas: de onde vieram, o desempenho de campanhas, etc.;
  • Na aba Comportamento você pode ver o que os seus visitantes fazem em seu site: quais as páginas que eles visitam, quanto tempo permanecem lá, que página foi usada para acessar seu site, etc.;
  • Por último, mas não menos importante, pode encontrar a aba Conversões onde pode ver dados sobre as pessoas que executaram um objetivo específico (por exemplo, baixou um arquivo, registrou-se no seu site, inscreveu-se para receber sua newsletter, comprou alguma coisa, etc.).

Administrador

Nesta aba você pode gerenciar sua conta de cima a baixo. Se você tiver vários sites, poderá criar várias contas e gerenciar todas elas usando o mesmo login. Esse recurso certamente economizará seu tempo. Neste painel, você também pode editar o idioma e o tipo de notificações por e-mail que o Analytics lhe enviará.

Medindo com o Google Analytics

Para medir o desempenho do seu site e descobrir o que otimizar, você precisa primeiro analisar as métricas. Vamos dividir algumas delas para ajudar você a começar. Afinal, se você quiser usar o tom certo para se comunicar com seu público, é melhor ter certeza sobre quem é seu público, certo?

Usuários x Sessões

Neste momento, é importante fazer a distinção entre esses dois conceitos. Um usuário pode gerar uma ou mais sessões. Isso ocorre porque os usuários são contados como o número de pessoas que acessam seu website, enquanto as sessões são contadas como acessos individuais à sua página da web por todos os usuários. Como uma pessoa pode acessar seu site várias vezes, o número de sessões é sempre maior que o número de usuários. As sessões são definidas por minutos de inatividade (30 minutos por padrão) ou à meia-noite, isso quer dizer que uma nova sessão é iniciada depois que o usuário ficar inativo por 30 minutos ou quando um novo dia é iniciado.

Duração média da sessão e Taxa de rejeição

Qualidade é melhor que quantidade! Em outras palavras, a quantidade média de tempo que um usuário gasta no seu site é mais importante do que ter um alto número de visualizações de pessoas que não encontrarão o que estavam pesquisando em seu site e sairão imediatamente.

Uma "rejeição" acontece sempre que alguém visita seu site e sai sem fazer qualquer interação com ele. Por padrão, o Google Analytics considera como uma interação se o visitante visitou pelo menos mais uma página do site.

Esse aspecto é levado em consideração quando a taxa de rejeição é medida. E qual seria uma taxa de rejeição "boa"? Tudo se resume ao tipo de site que você tem. Por exemplo, os blogs geralmente têm taxas de rejeição mais altas, pois as pessoas leem os artigos e saem. E, se você pensar sobre isso, não é uma coisa ruim, porque o visitante fez exatamente o que você esperava. No entanto, se você quiser que eles realizem uma ação específica no site, como clicar em um botão, baixar um arquivo ou inscrever-se para receber a sua newsletter, a taxa de rejeição desses tipos de páginas é algo em que você deve prestar atenção.

Ao verificar essa métrica, você pode ver o qual conteúdo faz com que seus visitantes se envolvam mais com seu site ou quais páginas os fazem sair mais cedo. Isso pode ajudá-lo a descobrir qual estrutura de página funciona melhor para seus usuários e, em combinação com as Sessões e a Duração da sessão em páginas específicas, qual conteúdo eles preferem. Personalizar seu site para as necessidades de seus usuários já parece mais fácil, não é?

Informações demográficas e Geográfico

Com o Google Analytics, você pode descobrir a idade e o gênero de seus visitantes. Isso pode ajudá-lo a adaptar a maneira como você escreve e o que você escreve. Por exemplo, se você descobrir que as pessoas que visitam seu site são principalmente mulheres com idade entre 18 e 25 anos, você pode adaptar sua linguagem às tendências atuais e segmentar seu conteúdo para a fase de vida delas.

Por outro lado, se você descobrir que muitos de seus visitantes estão localizados em outro lugar do mundo e usam um idioma diferente em seus navegadores, pode ser interessante localizar seu site para este idioma e, potencialmente, melhorar o envolvimento dos visitantes com sua página.

Canais de Aquisição

Agora que você sabe quem está visitando seu website, é possível dar um passo a mais e descobrir como os visitantes chegam ao seu site. É através dos seus anúncios? A otimização do seu site (SEO) é tão boa que sua classificação nos resultados de pesquisa é alta? As pessoas interagem com sua newsletter ou, por exemplo, seus seguidores no Facebook são super engajados?

  • Pesquisa orgânica (Organic Search): Aqui você pode ver a porcentagem de visitantes que encontraram seu site por meio de pesquisas feitas nos mecanismos de pesquisa. Se esse número for alto, significa que você provavelmente está usando as palavras-chave certas em seu texto. Se não, fazer uma pesquisa de palavras-chave pode ajudar;
  • Pesquisa paga (Paid Search): Se você tiver anúncios, aqui poderá ver qual a porcentagem de pessoas que clicam nos seus anúncios da quantidade total de pessoas que visitam seu site.
  • Direto (Direct): Esse número representa a porcentagem de pessoas que digitam o nome do seu domínio diretamente no navegador;
  • Social: Mostra quantas pessoas visitam seu site a partir de suas páginas de redes sociais;
  • Referência (Referral): São os visitantes que chegam ao seu site a partir de outros sites que possuem links para o seu. Por exemplo, se você possui uma loja de sapatos e algum blogueiro escreve um post sobre um par específico de sapatos que você vende e adiciona um link para sua loja online, nessa categoria você poderá encontrar todas as pessoas clicando nesse link;
  • E-mail: Quantos usuários interagem com sua newsletter e vão parar em seu site?
  • Display: Se você tem uma campanha de Google Display Network em andamento no Google Ads, aqui também é possível acompanhar seu desempenho;
  • Outros (Others): Aqui você encontra todos os outros usuários que o Google não conseguiu colocar em nenhuma das categorias anteriores.

Com esses dados, você pode ver facilmente em que canal precisa investir mais ou se deve dar um passo atrás. Suponhamos que você esteja exibindo uma campanha no Google Ads e esteja gastando uma boa quantia em dinheiro, mas você ainda não vê nenhum aumento no tráfego que leva ao seu website. Pode ser uma boa ideia pausar a campanha enquanto você realiza uma análise mais profunda e depois poderá otimizá-la.

Mídia x Origem

Essas são ferramentas importantes porque permitem identificar como as pessoas acessam seu website. Os dois conceitos podem parecer muito semelhantes ou até se assemelham aos canais de Aquisição, mas são diferentes e, juntos, fornecem informações mais detalhadas do que os canais de Aquisição.

Mídia é o tipo de tráfego (orgânico, direto, vídeo, etc.) e Origem é o local de origem do tráfego (Google, Facebook, Bing, YouTube, Yahoo, etc.).

Essas métricas são especialmente úteis se você tiver campanhas PPC em andamento. Você pode verificar a porcentagem de tráfego originado por elas, comparar a taxa de conversão do tráfego proveniente de suas campanhas pagas com o tráfego orgânico ou até mesmo comparar o comportamento dos usuários que acessam seu site por meio de diferentes mídias.

Resumindo...

Mostramos a você a interface, falamos sobre algumas das métricas básicas e explicamos o significado e importância delas para qualquer proprietário de site. Agora, dê uma olhada em sua própria conta do Google Analytics e confira todos estes recursos interessantes. Não se esqueça de nos informar se você tiver alguma dúvida.